Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘repúblicas de São Carlos’

Antes de mais nada, feliz ano novo! Espero que as festas de todos os leitores do blog sejam excelentes e cheias de delícias, cremosas, crocantes, doces, salgadas, saudáveis e também as delícias nem tão saudáveis assim! Hoje todo mundo pode de exagerar um pouquinho! 🙂

Depois de muito tempo longe, finalmente estou de férias e vou publicar uma receita que não tem nada a ver com a época. Nada de peru, lombos ou uma sobremesa elaborada.

Ai… As bananas, coitadas das bananas!

Uma das minhas frutas favoritas, para comer sozinha, está sempre na bolsa, no cereal com leite, picada dentro de qualquer iogurte, até acompanhando a dupla arroz & feijão no prato ( Sim! Gosto!) que acaba abandonada nessa época do ano.

A festa é tomada por uvas, abacaxis, ameixas, pêssegos, melão, melancia, e todas essas frutas de festa, que só aparecem nessa época e é claro, precisamos recebê-las muito bem com as carnes, as saladas de frutas, nos pavês, nas tortas, nos sucos e também sozinhas, para sentir completamente e aproveitar o gostinho de cada uma dessas frutas-festeira-sumidas.

Mas e as bananas?! Coitadas das bananas… Ficam ali num canto, ornando a fruteira, o chapéu da Carmen Miranda, como figurantes. Não têm a posição de rainhas como o Rei Abacaxi, mas sem elas a festa não é a mesma. O que fazer com as bananas abandonadas, já quase murchinhas?

Não, não vamos fazer como o meu pai fazia:

“VAMOS LÁ, CADA UM PEGA UMA OU DUAS BANANAS E COME AGORA! AGORA!”

Não, a banana, coitada, nos acompanhou o ano todo, sempre tão fiel e daremos um destino assim, tão infeliz, tão cruel?

NÃOOOOOOO!!!!!!!!!!

Que o destino final das bananas que fizeram papel de coadjuvantes o ano todo seja um pouco mais digno. Que tal uma torta de banana? Um bolo de banana com o topo caramelizado? Uau, tá ótimo!

Não serve como sobremesa de uma mesa de Natal ou de Reveillon, mas depois das festas, de tanto sorvete, chocolate, pudim e pavês, que delícia é uma pedacinho de bolo com um chá?… Sim, lá estarão nossas aconchegantes bananas, cumprindo seu destino de estar sempre confortando estômagos famintos, organismos sedentos por comidinha-normal. Dessas que a gente não come nessa época.

Nham! Vamos à receita? Anotem aí!

A receita é dividida em 2 partes ou 3 etapas.

A primeira etapa: O caramelo

Você vai precisar de:

1 xícara de água

1 xícara de açúcar

manteiga ou margarina para untar uma forma de mais ou menos 22x32cm

6 ou 7 bananas sem destino. Não use bananas muito passadas.

Confesso. Achei difícil e não gosto de fazer caramelo. Não custa tentar, mas se vc não faz idéia ou nunca fez, tenta chamar alguém pra “te vigiar”. Eu precisei.

Coloque uma xícara de água para ferver. Em outra panela com a base mais larga coloque 1 xícara de açucar e mexa com uma colher de pau até derreter. Demora, fica quente, mas derrete! Acredite! Assim que derreter (não precisa ser tudo – espero que a Pri me corrija se eu falar alguma abobrinha! hihi) coloque uma xícara de água quente e continue mexendo para quebrar todos o açúcar.

Despeje o caramelo na forma já untada com a manteiga e distribua as bananas fatiadas no comprimento, com a parte “redonda” para cima. Fica mais bonito assim e elas ficam paradas no lugar.

Pronto, feito isso, vamos para a próxima etapa.

A segunda etapa: liquidificador

Essa é bem fácil! Pode fazer enquanto alguém está cuidando do caramelo, ok?

No copo do liquidificador, coloque:

3 ovos

1 lata de leite condensado

1 lata de leite (medida da lata)

1 xícara de óleo

1 colher de chá de canela em pó

Bata bem no liquidificador, até ficar homogêneo.

Agora a terceira e última etapa:

Despeje o conteúdo do liquidificador numa tigela para bater o bolo e acrescente à massa:

3 xícaras de farinha

1 colher de sopa de fermento em pó

Acrescente esses ingredientes bem devagarinho, misturando suavemente à massa. Se possível, peneire a farinha com o fermento antes. O bolo fica mais fofinho!

A massa vai ficando bem espessa, mas não deixe de continuar mexendo SUAVEMENTE!

Depois que estiver homogênea, sem as bolinhas de farinha, coloque a massa na forma, sobre as bananas e leve ao forno médio-alto, já pré-aquecido, por 40 minutos.

Espere esfriar e desenforme!

Nhammmmmmmmmmmmmmm

Finalizando, agradeço à Norminha, a fotógrafa oficial do evento e minha “Louro José”do dia. Ajudou durante toda e receita e faz questão dos créditos aqui no Delícias Cremosas! hihihi

E apesar de não ter aproveitando a sugestão, fica a colaboração da Ana, a outra irmã, em batizar a receita como “Torta Freeganista”, por conta do aproveitamento das bananas abandonadas hahahaah A idéia foi genial, mas pouco cabível aqui, nas minhas receitas com nomes tão romanticos! Fica o link pra quem ficou interessado no assunto e sei que tem algum programa do National Geographic falando sobre.

Anúncios

Read Full Post »

Por Maria Manuela

Por conta do Delícias Cremosas eu ganhei o título de amiga-cozinheira, ou até Amélia por alguns. Participar de um blog de comidinhas não parecia nada demais, mas muita gente se impressiona. Ah! No fim das contas eu gosto e acho muito positivo 🙂

Há algumas semanas, um amigo resolveu vir me visitar em São Carlos e eu tinha que preparar algo, para mostrar que o Delícias Cremosas existe de verdade e tinha que ser algo diferente: Porque o nosso blog carece de novidades! 😀

Não sabia bem o que fazer, pensei em brownies, talvez cookies, e a dúvida acabou quando bati os olhos nessa receita da Cinara.

Adoro como nossa mente funciona e como automaticamente juntamos certas coisas. Coisas do tipo “sapo = nojo”, ou “Tom Cruise = maluco”. Neste caso, pensei em “deliciosos” quando vi os brownies e cookies numa receita só! E foi rapidinho assim: já comecei a salivar e desejar um híbrido desses pra mim naquele instante. Na minha cabeça só tinha a mensagem de “Just do it”. E fiz!

Ingredientes:

2/3 xícara de manteiga sem sal
1 colher (sopa) de água
1 1/2 xícara de açúcar mascavo
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
2 ovos
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1/3 xícara de chocolate em pó
1/2 colher (chá) de sal
1/4 colher (chá) de bicarbonato
2 xícaras chocolate meio-amargo picado

Modo de preparo:

  • Pré-aqueça o forno a 190 graus centígrados.

  • Misture a farinha, o chocolate em pó, o sal e o bicarbonato. (Bem assim, ao estilo Secos & Molhados).
  • À parte, na batedeira (fiz tudo à mão, com um fouet), bata a manteiga, a água, o açúcar e a baunilha. Acrescente os ovos. Acrescente os ingredientes secos a esse creme aos poucos, e bata apenas até misturar.
  • Com uma colher, misture as gotas de chocolate. Despeje colheradas da massa em assadeiras não untadas, deixando 5cm entre elas. Asse de 7 a 9 minutos, no máximo. Deixe esfriar por 2 minutos antes de tirar da assadeira.

Observações

1) A receita oroginal usa gordura vegetal, e seguindo as dicas da Cinara, substituimos por manteiga. Os cookies ficaram muito moles, então acho que dá pra diminuir um pouco a quantidade de manteiga, ou acrescentar mais farinha. Talvez, se usarmos os flocos de aveia da receita da Pri, eles fiquem mais ‘firmes’.

2) Os cookies parecem crus quando tirados do forno. Resista à tentação de deixá-los mais tempo assando, ou ficarão secos e perderão a textura de brownie!

3) A questão tempo x cookies gostosos é um dilema. Faça a primeira fornada para testar o seu forno… é a melhor maneira, até acertar o tempo 😀

4) Ah… Cookies da Véia versus Brownie-Cookies => Cookies da Véia!!!! Ou os dois juntos! Quem sabe?! 😀

Agora… A melhor parte! A hora de atacaaaar!!!!

E claro, cookies para viagem!!! (por isso restaram tão poucos para foto do post hehehe)

Read Full Post »

Por Maria Manuela

Devo confessar que a liberdade alcançada por nós, estudantes e moradoras de república ou até morando sozinhas (eu!) é constantemente contrastada com a saudade de casa e uma das coisas que eu mais sinto falta é da comidinha preparada, principalmente aos domingos, pelo meu pai e minha mãe 🙂 .

Eu admito que eu não sabia cozinhar NADA antes de morar longe de casa, agora, após muito sofrimento, já sinto uma grande evolução gastronômica na minha vida e na marra eu aprendi a me virar! (Recomendo!)

Tá… eu sei! E vocês podem dizer que fazer macarrão é fácil… Ahh! Mas não adianta insistir! Eu vou protestar!!! Bom, o seu macarrão pode dar certo, mas nenhum vai ficar igual ao preparado pelo seu Rui e pela dona Norma em qualquer domingo ensolarado, com música alta pela casa toda onde todo mundo já fica avisado “Hoje é mais um dia de macarronada!!!” com muito queijo ralado, coxas suculentas de frango e um molho “que nunca está no ponto certo”, mas sempre delicioso!

Era esse o infalível cardápio dos domingos da minha infância. Alguém saía correndo pra comprar um guaraná, ou o queijo ralado, que só lembrávamos na hora de servir! Sem deixar de lembrar da modéstia do seu Rui perguntando a cada um dos presentes na mesa:

“Gostaram da macarronada que eu preparei, SO-ZI-NHO?
“Simmmm!!!!”
“Mas hoje nem ficou tão bom…”sua mãe atrapalhou :-P”

E sempre foi lei: Só se começa a comer com todo mundo na mesa. Todos juntos, o time todo. Sabe aquele negócio de ser feliz e não saber? Então…

Seria muita ousadia da minha parte tentar reproduzir uma receita dessas no Delícias Cremosas.

Receita de família! Onde todos os ingredientes são medidos a olho, na verdade “medidos pelo aroma… quanto mais cheiroso o molho, mais gostoso vai ficar…” segundo papai diz, e pra ele, esse é o segredo de qualquer receita.

Aproveitando: “Poxa vida, pai! SAL NÃO TEM CHEIRO!!!

Agora têm ficado cada vez mais raros esses domingos… meu pai diz que é porque eu não quero saber mais de voltar pra casa (o que não é verdade) e a faculdade tem me tomado bastante tempo (o que é verdade). De fato, minhas idas a SP ficaram mais raras e o mestrado tem me deixado doiiida!!!… mas o fato é que um dia eu acordei com uma vontade louca de comer macarrão (e não dava pra ser o de casa… 😦 )… e a Pri, pra variar, em todas as horas, em todos os momentos, em todos os abraços… Estava lá! Ah! Ela é minha mama de Sanca!!! 😀

Chega de blá blá blá! (Juro que tento me controlar nessas “conversinhas”… vou melhorando!), segue a RECEITA!:

1 – As Conchinhas:

Compramos 2 pacotinhos de macarrão tipo conchiglione e eu tomei o cuidado de cozinhá-las e deixá-las ao dente. Segue a minha foto num momento Amélia, exclusivo para o Delícias Cremosas.

2 – O Recheio:

Fizemos um recheio classicão para as nossas fofas conchinhas italianas: foram cerca de 400g/500g de queijo “moído” + 300g de presunto “moído”, um copo de requeijão e um tiquinho de creme de leite para deixar tudo mais cremoso (vai a olho mesmo, não tem o que errar aqui!). Misture tudo com as mãos (ou espátula). Vira uma pasta, muito gostosa de beliscar…

Coloque cuidadosamente o recheio dentro das conchinhas. Cuidado para não quebrá-las. Faça com a mão mesmo (mãos limpas!). Vá colocando as conchinhas num refratário que pode ir ao forno.

Prepare molho branco (Já demos a receita aqui) e molho vermelho (esse nós compramos pronto!).

Agora é muito fácil, né minha gente? Coloque as conchinhas-bebezinhos numa forma, cubra com molho vermelho ou molho branco ou os dois (vai do freguês!), cubra com queijo ralado e leve ao forno para gratinar/dourar/derreter o queijo/nhaaammm! Já fiz no forno elétrico e foi dois palitos! Rá!

E fica bom… Delicioso! MARAVILHOSO!!!!!!! huuummmmmmmmm….

Read Full Post »